Maria - a nova Euterpe do Ventor

 

Ontem, dia 22 de Janeiro de 2012, tivemos um convite para assistir ao Concerto do Ano Novo, na Basílica da Estrela, no qual participava a Maria a nossa princesa que julga ter alguma vocação para a Música, participando em aulas de piano e canto.

Este foi o 3º Concerto que participei nas eufurias da Maria, na sua caminhada e nossa, ao lado da Música. O primeiro no Concervatório de Música de Lisboa, o segundo no Palácio Foz, nos Restauradores e agora, na belíssima Basílica da Estrela, em Lisboa.

 

 

Deixo aqui um vídeo do Youtube que dará uma visão da Basílica da Estrela

 

Nessa caminhada musical, ontem recordei, ao atravessar o Jardins da Estrela, o meu primeiro amigo, em Lisboa. Um Melro! Caminhei pelo Jardim da Estrela cinco dias, os mesmos que morei na Av. Infante Santo, com um amigo de Paradela e a sua esposa que nunca mais vi. Depois desses cinco dias abandonei Lisboa, rumo a Almada, onde tive a guarida do meu amigo Joaquim da Chica que o Senhor da Esfera já tem à Sua guarda. Então, de Lisboa, levava as saudades desse amigo Melro que, quando nos encontramos no velho Jardim da Estrela, me levou a acreditar que, o mundo, pelo menos para mim e para o melro, seria igual em todo o lado.

 

 

 

É uma beleza a Basílica da Estrela, no seu interior

 

Ontem, não vi o meu amigo mas vi, certamente descendentes seus! Reparei também naquele cafezito que continua no mesmo local e matei saudades por ser o local onde bebi a primeira bica da minha vida, então com 15 anos e dois meses menos dois dias. Nesses cinco dias, o café do Jardim da Estrela era o meu local de descanso, pois então, nesses cinco dias eu palmilhava as minhas primeiras caminhadas, longe dos meus montes, longe das minhas Montanhas Lindas.

Ainda hoje recordo muitas das ruas de Lisboa das minhas caminhadas desses primeiros dias e, recordo-me também da cúpula da Basílica da Estrela, então a minha estrela polar, ou se quiserem, a minha bússola, nas minhas caminhadas lisboetas. Quando via a cúpula da Basílica da Estrela, tomava o seu rumo e dentro de algum tempo, estaria na casa onde dormia.

Ontem, mais uma vez, observei esse velho marco dos primórdios da minha vida. Não tenho a certeza mas, creio que, nunca, em tantos anos, tinha entrado dentro daquela bela basílica. Passei tantas vezes àquela porta que quase não acredito que lá não tenha entrado. No entanto, parece-me ser essa a verdade.

 

 

Basílica da Estrela vista do seu exterior

 

A Basílica da Estrela, foi mandada construir pela Rainha D. Maria I. A sua construção iniciou-se em 1779 e terminou em 1790 de estilo barroco final e neoclássico novo, uma mistura e, segundo os sabidos, será a primeira igreja que foi consagrada ao Sagrado Coração de Jesus, em todo mundo. No seu interior podemos observar mármores multicolores de de cores cinzas, amarelos e rosas e pinturas do romano Pompeo Batoni.

Por isso, podemos dizer que a Basílica da Estrela para além de uma grande igreja, podemos considerála um grande monumento de Portugal.

 

Foi devido a mais este concerto em que participou a Maria, posso dizer que foi pela sua mão que eu entrei nesta bela "maison" do Senhor da Esfera, em Lisboa e acredito que, em beleza, não ficará a dever nada às melhores.

 

 

O Ventor gosta de música e de instrumentos musicais e, entre eles, um dos mais apreciados é a gaita galega, como dizíamos em Adrão, 50 anos atrás

publicado por Ventor às 21:26